A Polícia Federal (PF) vai utilizar a caligrafia para tentar identificar os autores de pichações e atos racistas nas dependências da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Na última terça-feira (21), o Diretório Acadêmico do curso de Ciência Sociais, no Campus em Camobi, foi pichado com dizeres racistas. As ofensas seriam destinadas a três alunos negros, que tiveram seus nomes citados na parede da sala, junto ao desenho de duas suásticas, símbolo do Partido Nazista alemão.

Além disso, as frases “Brancos no Topo” e “Fora Macacos” também foram escritas no diretório acadêmico. Os próprios alunos do curso denunciaram o caso à Polícia Federal (PF), que pretende comparar a caligrafia das pichações com as dos trabalhos realizados a mão em aula por alunos do curso. Este foi o terceiro ato racista registrado na UFSM em 2017. Os outros dois casos, em agosto e setembro, ocorreram nas dependências do Curso de Direito.

Central de Jornalismo – Fabricio Minussi (MTB 11.110)

Foto: Reprodução

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA