Os agentes da Polícia Civil decidiram declarar greve a partir da próxima segunda-feira. A ação foi tomada após assembleia geral realizada nesta quinta-feira, em Porto Alegre. A paralisação, conforme Ugeirm e Asdep, será mantida até que o governo Sartori integralize os salários dos servidores da Corporação.

Um novo encontro foi convocado para a quarta-feira para avaliar as ações do movimento. Durante a assembleia, o diretor da Ugeirm, Cláudio Wohlfahrt, comentou o encontro dos representantes sindicais com a cúpula do governo estadual, no Palácio Piratini. Ele salientou que as duas principais exigências da categoria não foram atendidas, o fim definitivo dos parcelamentos e a efetivação das promoções atrasadas.

OUÇA A ENTREVISTA COM O DIRETOR DA UGEIRM, PABLO MESQUITA

 

CONTRAPONTO

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) do governo do Rio Grande do Sul se manifestou, na noite desta quinta-feira, sobre a greve declarada por agentes da Polícia Civil. A entidade salientou que o Supremo Tribunal Federal (STF) já manifestou ser ilegal a paralisação de profissionais do setor. Conforme nota oficial da SSP, “a segurança pública é um direito fundamental e um serviço essencial. Desta forma, a população não pode ficar desassistida em virtude da paralisação de profissionais desta área”.

Central de Jornalismo – Fabricio Minussi (MTB 11.110)

Com informações do site do Correio do Povo
Foto: Deivid Dutra / A Razão

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA