A Prefeitura de Santa Maria e a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) se uniram, mais uma vez, com o objetivo de vistoriar e agilizar as demandas relacionadas à rede de esgoto no Município. Em reunião, realizada nesta quinta-feira (05), ficou definido que as solicitações e denúncias, que chegam ao Executivo, devem ser encaminhadas à Ouvidoria Geral. A partir disso, seguindo as diretrizes do Governo de estreitar as relações institucionais, uma equipe formada por fiscais das secretarias de Estruturação e Regulação Urbana e do Meio Ambiente e da Corsan partem juntos, ao menos uma vez por semana, para solucionar e encaminhar os pedidos feitos pelos cidadãos.

O objetivo desta força-tarefa é zerar a demanda reprimida, otimizar o tempo dos fiscais e agilizar as soluções de problemas relacionadas ao esgoto sanitário. Com a atuação destes profissionais juntos, a demanda, verificada in loco, será mais facilmente solucionada, já que todos os envolvidos estarão participando da ação e poderão orientar o solicitante de como proceder, notificando-o e dando prazo para regularização.

“Essa parceria entre as secretarias e a Corsan só tem a agilizar as demandas, já que otimiza o trabalho dos fiscais e facilita os encaminhamentos de demandas solicitadas”, explica a superintendente da Ouvidoria, Suséli dos Santos.

“O trabalho conjunto entre Prefeitura e Corsan facilitará os trabalhos de fiscalização e dará mais agilidade no retorno de pedidos”, completou o Superintendente de Fiscalização, Tiago Candaten.

Ao longo desta atividade, os profissionais envolvidos também desenvolverão uma cartilha de orientações para ser distribuída aos cidadãos. A intenção é facilitar para a população sobre como eles devem proceder nos diferentes casos, como as ligações de redes irregulares e clandestinas ou esgoto a céu aberto, entre outras situações.

“Tem serviços que nós vamos, mas é da Prefeitura, ou vice-versa. É isso que essa força-tarefa vai resolver, já que estaremos juntos nos diferentes casos”, disse o agente de serviços operacionais da Corsan, Maurício de Oliveira Dutra.

A questão ambiental, fortemente vinculada às ligações e despejos irregulares de esgoto, também será trabalhada pela equipe. Fiscais da Secretaria de Meio Ambiente também irão compor a força-tarefa, orientando a população sobre os riscos ambientais e, também, à saúde pública, bem como dando prazos para as regularizações.

“O esgoto irregular traz vários riscos ao Meio Ambiente e à Saúde. Essa parceria vai dar os encaminhamentos necessários para resolver várias demandas”, finalizou o superintendente de Licenciamento e Controle Ambiental e Animal da pasta, Gerson Vargas Peixoto.

Central de Jornalismo – Fabricio Minussi (MTB 11.110)

Texto: Maurício Araujo (Mtb 17.781)
Foto: João Alves (Mtb 17.922)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA