A Polícia Civil ainda não sabe qual o encaminhamento que será dado às ocorrências registradas em delegacias de todo o Rio Grande do Sul (RS), contra o governador José Ivo Sartori (PMDB), devido ao parcelamento dos salários do funcionalismo público estadual.

As primeiras ocorrências foram registradas ainda na quinta-feira (31) da semana passada, em delegacias de Passo Fundo e Santa Maria. A mobilização é capitaneada pelos professores ligados ao Cpers/Sindicato. Na última segunda-feira (4), os professores adotaram a medida de registrar as ocorrências nas delegacias de diferentes cidades do RS.

Em entrevista ao programa Rádio do Povo, com Clédio Calegaro, o delegado Regional de Polícia Civil, Sandro Meinerz, disse que o encaminhamento a ser dado às ocorrências ainda não está claro. “Pelo que podemos interpretar o parcelamento dos salários não configuraria crime. Mas estamos analisando, nos termos da Lei, o que deve ser feito em atendimento a essas demandas”, explicou Meinerz.

OUÇA A ENTREVISTA COM O DELEGADO SANDRO MEINERZ

Segundo Sandro Meinerz é bem provável que todas as ocorrências registradas nas diferentes cidades do RS sejam enviadas ao Palácio da Polícia, em Porto Alegre.

Central de Jornalismo – Fabricio Minussi (MTB 11.110)

Foto: Reprodução

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA