Mais de quatro anos depois da tragédia da Kiss, será realizada a partir das 14h, na 4ª Vara Cível de Santa Maria, a primeira audiência do processo por improbidade administrativa em que são réus o coronel da reserva Daniel da Silva Adriano e o capitão Alex da Rocha Camillo. O Ministério Público (MP) apontou que eles descumpriram regras sobre licença de estabelecimentos no caso da tragédia da Boate Kiss.

Entre as testemunhas que devem depor hoje, estão representantes do Crea/RS. A entidade apontou falhas no Sistema Integrado de Gestão de Prevenção de Incêndio (Sigpi) e disse que os bombeiros e a prefeitura liberavam alvarás sem plantas.

Também irão depor José Carlos Sallet de Almeida e Silva, que foi chefe da Seção de Prevenção de Incêndio do 4º Comando Regional dos Bombeiros; Vagner Guimarães Coelho, bombeiro que realizou a última vistoria na boate Kiss, em 2011 e chegou a ser indiciado pela Polícia Civil por homicídio doloso; e Cleiton Thomasi da Cruz, coordenador regional da Associação dos Bombeiros do Estado do Rio Grande do Sul (ABERGS).

Central de Jornalismo – Fabricio Minussi (MTB 11.110)

Com informações de Luis Roese.
Foto: Reprodução

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA