loading...

Aditivo garante transporte escolar para três entidades assistenciais do Município

Aditivo garante transporte escolar para três entidades assistenciais do Município

Buscando atender a comunidade com necessidades especiais, a Prefeitura de Santa Maria, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social, garantiu a continuidade do transporte escolar para três entidades assistenciais de Santa Maria. A Associação Colibri, a Escola Antônio Francisco Lisboa e a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), que estavam sem transporte para os alunos desde o início do mês, já podem retomar o serviço.

Conforme o secretário de Desenvolvimento Social, João Chaves, a retomada do transporte será possível pois a Prefeitura fez um aditivo ao contrato de serviço do ano passado das três instituições. Assim, o contrato terá validade de 1º de janeiro a até 30 de junho, podendo ser prorrogado ou extinto. Além disso, o aditivo permite ainda que o Executivo pague o retroativo aos meses de março e abril às empresas que realizam o serviço. O aditivo foi aprovado pelo Conselho Municipal de Assistência Social.

Nesta sexta-feira (26), João Chaves informou a Associação Colibri e a Apae quanto à retomada do serviço. Nas duas instituições, o transporte volta a ser realizado normalmente na segunda-feira (29). A Escola Antônio Francisco Lisboa já teve o serviço restabelecido nesta sexta, e os alunos atendidos pela instituição puderam retornar às atividades.

“Entendemos que esse é um problema social. Existe a frieza da lei, que precisa ser cumprida, mas existe também o lado humano. Deixar essas pessoas sem transporte mexe em toda a estrutura dos alunos e da própria família, porque a ida para as instituições é a referência deles. Por isso, trabalhamos para garantir que eles possam contar com o transporte”, explicou o secretário João Alves.

Mesmo com o aditivo do contrato, as instituições precisam entregar à Prefeitura a documentação necessária para que o Executivo realize, o mais breve possível, o chamamento público por dispensa, para que o serviço seja executado neste ano. A Escola Francisco Lisboa e a Apae já entregaram os documentos. A Associação Colibri se comprometeu em apresentar os papéis até a quarta-feira (31).

Conforme a presidente da Colibri, Adriana Cezar, o anúncio da retomada do serviço traz tranquilidade para a associação. A entidade atende 57 alunos, entre jovens e adultos com deficiência física e mental. Desse total, 45 necessitam do transporte.

“É um alívio receber essa notícia, porque retoma o direito de ir e vir e de incluir esses alunos na sociedade. Nos tranquiliza ver que a Prefeitura teve esse olhar humano e essa preocupação em nos atender”, destacou Adriana.

Central de Jornalismo – Fabricio Minussi (MTB 11.110)

Texto: Mariana Fontana (Mtb 17.770)
Foto: João Vilnei (Mtb 18.086)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *