O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou nesta terça-feira em um comunicado o atentado que fez ao menos 22 mortos e 59 feridos na segunda-feira à noite na saída de um show da cantora Ariana Grande em Manchester (Oeste da Inglaterra).

• Homem de 23 anos é detido na investigação do atentado de Manchester

O comunicado, publicado pelo EI por meio de um de seus canais de comunicação nas redes sociais, indica que “um dos soldados do califado colocou uma bomba no meio da multidão” durante o show. O grupo também ameaça cometer outros ataques.

No ataque – ocorrido por volta das 21h35min (horário local, 18h30min em Brasília), ao final de um show da cantora americana Ariana Grande -, 59 pessoas ficaram feridas, segundo o chefe de Polícia de Manchester, Ian Hopkins. “Posso confirmar que há adolescentes entre os mortos”, disse Hopkins, em entrevista, divulgada pela Agência EFE.

O agente informou ainda que a investigação procura estabelecer se o responsável pelo ataque “agiu sozinho ou como parte de uma rede” terrorista. “Acreditamos que o autor levava um artefato explosivo que ele detonou, causando essa atrocidade”, afirmou Hopkins. “As famílias e muitos jovens estavam em um show na Manchester Arena e morreram. Os nossos pensamentos estão com as 22 pessoas que morreram, as 59 que ficaram feridas e seus entes queridos”, disse.

Central de Jornalismo – Fabricio Minussi (MTB 11.110)

Com informações do site do Correio do Povo
Foto: Reprodução

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA