Em reunião do secretariado, o governador José Ivo Sartori oficializou reformulação no núcleo duro do Executivo, que será integrado a partir de agora pelos secretários geral de governo, Carlos Búrigo, da Segurança Pública, Cezar Schirmer, e de Comunicação, Cléber Benvegnú.

O trio ficará responsável por coordenar ações e medidas estratégicas nas áreas política, de gestão e de comunicação. Originalmente, o grupo era integrado por Búrigo, que foi mantido, e pelos secretários da Fazenda, Giovani Feltes, e da Casa Civil, Márcio Biolchi, que acabaram excluídos da nova composição. Na semana passada, Sartori já havia sinalizado a decisão em conversa reservada com seis integrantes do governo. A leitura interna no Palácio Piratini é a de que, do seu jeito, Sartori começou a preparar o terreno para a reforma do Secretariado, que pode ocorrer em abril. Ficou evidente com a decisão que Feltes e Biolchi, dois secretários estratégicos em função das áreas que comandam, estão fragilizados.

A avaliação de governistas é que ao excluir o chefe da Casa Civil e o secretário da Fazenda do núcleo de decisões do Piratini, Sartori, ao seu modo, “liberou” os dois da permanência nas pastas. Feltes e Biolchi são deputados federais do PMDB. Além de desgastes naturais vinculados às áreas que comandam, ambos teriam se envolvido em problemas de relacionamento internamente com lideranças do governo.

Desembarque do PDT é considerado certo

Na reunião dessa segundacom o Secretariado, Sartori lembrou que no dia 10 de abril o PDT irá reunir o diretório para decidir sobre a permanência ou desembarque da base. Tudo indica que a segunda opção será a escolhida. Com uma bancada formada por sete deputados, o PDT já vem, há algum tempo, apresentando dissidências em votações importantes para o Executivo. Além de críticas contundentes ao governo protagonizadas por deputados como Juliana Brizola e Enio Bacci, a candidatura própria do partido ao Piratini em 2018, provavelmente com o ex-prefeito de Canoas Jairo Jorge, deve ser decisiva para a definição dos trabalhistas. Em tempo: o secretário de Obras, Gerson Burmann, que já adiou três vezes prazo estipulado para deixar a pasta, reassume seu mandato na Assembleia, por razões pessoais, na próxima sexta-feira.

Central de Jornalismo – Fabricio Minussi (MTB 11.110)

Com informações do Correio do Povo
Foto: Divulgação / Piratini

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA