O Núcleo de Avaliação e Prevenção de Desastres do Município se reuniu, nesta quinta-feira (23), para dar continuidade às ações emergências para evitar novos alagamentos em Santa Maria. Foram discutidas ideias para qualificar o Núcleo e definidas ações que, posteriormente, serão revertidas em melhorias para as comunidades atingidas pelas chuvas.

Foi discutido ideias para qualificar o núcleo e definir prioridades que serão revertidas em melhorias para as comunidades atingidas pelas fortes chuvas.

O grupo definiu objetivos e estudou os planejamentos que estão sendo feitos, como o mapeamento das áreas que mais sofrem com as tempestades. Os planos de ação, conforme o Núcleo, consistem, além de estruturar os espaços, na integração das secretarias de governo para que, juntas, trabalhem na prevenção das adversidades.

“São problemas antigos, de 30, 40 anos, que temos de resolver e planejar para que não ocorram com as fortes chuvas”, explica Cladimir Nascimento, da Defesa Civil.

Destacou-se que, a partir dos levantamentos já previamente realizados, as principais causas dos alagamentos passam pelo assoreamento dos arroios, falta de vazão para o escoamento da água, entupimento dos bueiros e o descarte irregular do lixo.

O Instituto do Planejamento (Iplan) já está trabalhando no mapeamento das áreas afetadas e, nas próximas reuniões do Núcleo, deve apresentar o levantamento para que, então, as medidas comecem a ser planejadas e colocadas em prática.

Coordenado pelo vice-prefeito Sergio Cechin, o Núcleo é composto pelo Iplan, secretarias de Meio Ambiente, Infraestrutura e Serviços Públicos, Mobilidade Urbana, Desenvolvimento Social, Defesa Civil, Guarda Municipal, Conselho Municipal de Meio Ambiente (Condema) e Corsan.

Central de Jornalismo – Fabricio Minussi

Texto: Maurício Araujo (Mtb 17.781)
Foto: João Alves (Mtb 17.922)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA