No último dia 4 de janeiro a Prefeitura apresentou uma proposta de “ampliar as políticas para o interior, conter gastos e melhorar a prestação dos serviços e estruturas dos distritos”. O anúncio foi feito por meio da Secretaria de Município de Desenvolvimento Rural (SDR), que reorganizou as subprefeituras dos distritos do Município. Três subprefeitos irão coordenar os nove distritos – que, a partir de agora, serão divididos em três regiões.

O novo ordenamento gerencial irá funcionar da seguinte maneira: na Região Sul, o subprefeito irá comandar os distritos de Santa Flora, Pains e Passo do Verde. A Região Oeste terá São Valentim, Boca do Monte e Santo Antão. Palma, Arroio Grande e Arroio do Só ficarão sob responsabilidade do subprefeito da Região Leste.

O titular de Desenvolvimento Rural, Rodrigo Menna Barreto (DEM), lembra que além da redução dos gastos com o corte de pessoal, “as regiões terão suas estruturas fortificadas, com os subprefeitos atuando de forma efetiva nos distritos e, também, dentro da Secretaria na busca de solução de problemas e planejamentos para o interior. Para dar atenção igualitária a todos os distritos, eles terão veículos para deslocamentos”, destacou.

A otimização de gastos com subprefeitos – antes eram nove nomeados –, proporcionará, segundo Menna Barreto, revigorar as estruturas, concentrar esforços e melhorar a organização das políticas do interior. Com o projeto de austeridade, a prefeitura reduz de 18 cargos nos distritos para 12.

Além dos subprefeitos – que serão nomeados nesta segunda-feira (9) –, nove assessores regionais ficarão responsáveis por receberem as demandas nas subprefeituras – que manterão suas sedes. Os serviços como correios, escolas e postos de saúde seguem sendo prestados e não sofrerão nenhum prejuízo com as alterações.

CONTRAPONTO

Imediatamente após o anúncio feito pela Prefeitura, surgiu a primeira manifestação do Parlamento Municipal. O vereador Luciano Guerra lançou nota à imprensa, afirmando que a incorporação de subprefeituras em regionais diminuirá a representatividades das comunidades do interior, na cobrança de demandas junto à Prefeitura.

“É realmente um deboche com o homem do campo, começou o desmonte, vamos retroceder 20 anos. Se a medida é de economia, por que o prefeito não exclui a figura do secretário adjunto, que tem salários altíssimos? Um subprefeito talvez seja tão ou mais importante que um cargo do alto escalão”, indaga.

Guerra lembra que a extensão territorial do interior do município é muito grande e que três subprefeitos é muito pouco. O vereador deixa claro que todo empenho para enxugar os gastos públicos é válido, porém não se pode deixar de fazer o essencial.

“Sou a favor da economia, mas a população precisa de um serviço de qualidade, a prefeitura não precisa fazer uma poupança, tem é que saber onde aplicar os recursos da melhor forma”, finaliza.

ENTREVISTA

No último sábado o secretário Menna Barreto e o vereador Luciano Guerra discutiram o assunto durante o programa Sábado Aberto. A entrevista foi mediada pelo apresentador Fabricio Minussi. Durante aproximadamente meia hora, ambos apresentaram as suas razões e contrarrazões, ponto e contraponto sobre o tema. O vereador disse que gostaria de discutir de forma mais ampla as medidas anunciadas e que irá fiscalizar o andamento desse processo. Já o secretário disse que é preciso fazer mudanças para atender melhor o interior, economizar e recursos e pediu um voto de confiança dos vereadores e da comunidade.

Confira, abaixo, a íntegra da entrevista com o secretário Menna Barreto e o vereador Luciano Guerra.


Central de Jornalismo – Fabricio Minussi (com agências)
Fotos: Reprodução

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA